domingo, novembro 3

Poema sem título

Se os olhos são o espelho da alma_
É visível a cegueira_
De quem os não vê_
De quem com eles olha_

E o que espanta ser aquele,_
O portador da dita,_
Quem ignora a sua essência_
Quem dita a sua ausência_

Que a alma pode ser grande_
Ai! Mas quantos a fazem pequena!_

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email